segunda-feira, fevereiro 18, 2008

a dama de perugini


além do umbral,
onde os rostos se alargam no espaço,
flutua a dama como em arabesco.
.
do balaústre, o seu alvo semblante
parece adormecer, enquanto espera,
talvez a surpresa de um beijo.

.
.
Carlos Henrique Leiros
.
.

[the green lizard (charles edward perugini)]


Perugini, Charles Edward [1839/1918]: Nascido em 1839, em Napoles/Italia, Perugini viveu o apogeu de sua arte na Inglaterra, para onde viajou na companhia do grande artista neoclássico inglês Frederic Leighton, de quem se tornou amigo. Teve seus trabalhos aclamados pela Royal Academy. Mais tarde casaria com Kate Dickens [filha do escritor Charles Dickens], também artista. Sua pintura retrata com bastante fidelidade toda a exuberância dos tempos antigos da Grécia e Roma, de cujas culturas foi um fervoroso admirador. O quadro acima - The Green Lizard [oil on canvas]- data de 1902.

38 comentários:

Berta Helena disse...

Amigo Carlos,

Primeiro, quando cá chego, é o charme do visual desta tua casa que me enfeitiça. Depois o que escreves. Perco-me por cá, mas dou por bem empregue este tempo. Nem poderia ser de outra forma. Hoje fiquei à espera que a dama se surpreendesse mesmo. E assim foi. O beijo esperado nem tardou muito. E foi bonito.

Um grande abraço, meu Amigo poeta.

Edna Battaglini disse...

Carlos

Bela a arte do grande Charles Edward Perugini,ilustrando seus versos,
apreciei muito a pequena
biografia, que sejam outras bem vindas, torna-se enriquecedor
o conhecimento do artista, louvável sua inicitiva.
Belo o poema, gosto de temas relacionados a sentimentos singelos: abraços, carinhos, pequenas coisas...


(sua ausência foi sentida)
bj

Berta Helena disse...

Carlos,

Desafio das 12 palavras no meu cantinho.

Abraço.

Tinta Azul disse...

Como é boa a expectativa...de um beijo.
Muito bonito, Carlos.
Abraço

livia soares disse...

Olá, CH.
Bem, continuando a viagem pela cultura de "lá" e as reflexões entremeadas de sonho, agradeço a vc pela lembrança de Perugini.
Como é bom ter quem nos lembre que essas coisas existem!
E acho particularmente comovente essa sua anglofilia de quem nunca pôs os pés "lá"... me fez reler o "Ulisses" de Pessoa: "por não ter vindo, foi vindo, e nos creou".
Vc não precisa ir à Inglaterra para perpetuá-la. É um filho dileto, nascido no exílio. Para a saudade infinda, não há remédio. Mas como consolo, receito-lhe o imortal discurso de Henry V: "We few, we happy few, we band of brothers..."
Um abraço.

alexandre disse...

Que bela dama que você descreve e que me deixa com vontade de conhecer. Belíssimo poema meu caro.
Bom fim de semana. Abraços!!!

Tania disse...

Caro Carlos,

Linda postagem, em imagem e palavras. E fiquei encantada com o final do poema - essa doce espera, talvez, da surpresa de um beijo...
O olhar do poeta e a bela pintura se misturam, fazendo nascer uma atmosfera única de sensações. Ah, que maravilha é a arte...

Um abraço e feliz fim de semana.

Tinta Azul disse...

Caros Carlos e Lívia,
E que tal uma visita ao lado de cá?
No Porto, teriam cicerone. Com muito gosto.
Abraço.

José Boldt disse...

Meu caro Amigo Carlos

Só para lhe deixar um abraço
e pedir-lhe que aceite
as minhas desculpas
por tão tarde lhe agradecer
as suas palavras,
sempre reconfortantes,
é que nem sempre
maquina fotográfica
e computador, estão no mesmo tempo,
e eu tambem ando um pouco avesso a estas coisas da Net.

Com amizade
José Boldt

Edna Battaglini disse...

querido Ch
saiba que estou aqui rezando, torcendo, lembrei-me hj com saudades dos nossos longos papos,
e fiquei a imaginá-lo, se está bem logo o espero devolta, com muita saudade, e vc com muita saúde
meu poeta maior,aqui sem vc não tem sentido
com carinho, sua sempre amiga
abraços

rogerio santos disse...

As frases dançam no teu poema.

alfacinha disse...

Olá
blogue de bom gosto, imagens peculiares e lindas, um prazer para os olhos

Nena Dolores disse...

CH

FELIZ ANIVERSÁRIOOOO!!!

Abraço forte da amiga.

Lua Durand disse...

beijo esse que talvez em um dia sem esperar ele chegou.

na brisa, leve.

levou.

a tempos que não venho aqui.

poemas tão belos e intensos.

saudade dessas palavras.

voltei.

beijos, au revoir.

Anônimo disse...

oi carlos henrique!! fica logo bom pra voltar!! melhoras, beijos... sua amiga 'lelé'...

Tata disse...

Talvez a espera de um mundo nesse beijo.

Belas palavras.

(:

Divinius disse...

Gostei.
Sorriso:)

Ana Ramiro disse...

Venho sempre e você ainda distante. Volte logo, meu caro!! beijo da Ana

Tania disse...

Caro Carlos,

Eu também sinto falta da sua presença. Espero que esteja tudo bem com você.

Um abraço.

Tinta Azul disse...

Também eu sinto a falta do Carlos.
Um abraço.

Tata disse...

Atualiza o blog!!!!

:)

Ana Isabel disse...

Caro Carlos

...penso entender por alguns dos comentários, que a sua saúde não está no seu melhor.

Seja o que for...espero reencontrá-lo por aqui em breve.

Abraço
Ana Isabel

Mi disse...

Dá postar ou tá difícil?

hunf!

bleim bleim bleim!

schadenfreude disse...

faltam me flores...
mas ja plantei meu jardim...
saudade é uma palavra ingrata e ao mesmo tempo um afago...

miause disse...

Já sabe que vou dizer que já passou da hora de atualizar isso aqui né óh grande serpente?!
[Olha quem fala a mais relapsa de todas....rs]
Mas estou passando p/ te deixar um bjo e dizer que fique mto feliz com sua lembrança de meu aniversário, família é família, für immer meu caro!!!

Bjãooooo fique com Deus se cuide.
Darla Shark Smile...rs

Lua Durand disse...

versos tão delicados de uma beleza incontestavel, como sempre.

saudades de cá.

um beijo.

Sib's disse...

Darling, acabei de fazer um blog. "Almofariz e pistilo". te adicionei na lista de blogs favoritos.
Beijos

jorge vicente disse...

tenho pena que não blogue desde fevereiro.

a sua poesia é fantástica!!!

um abraço
jorge vicente

livia soares disse...

Já está bom de voltar, não é?
Sua ausência já se prolongou demais.
Um abraço.

Theresa Russo disse...

CARÍSSIMO ESCRITOR, O SENHOR ESTÁ INCONTESTAVELMENTE convidado a participar do grupo POÉTICA DIGITAL

http://poeticadigital.ning.com/

THERESA RUSSO

rogerio santos disse...

Caríssimo.

Anônimo disse...

É,meu amigo... sabe Deus por onde anda vc, mas espero que esteja bem e que dê o ar da graça. Quando nada, com esses posts que vc bem sabe fazer!

Abraço
Nena

Analuka disse...

Caríssimo amigo, venho agradecer tua visita, e tuas palavras amáveis! É graças à presença e estímulo de almas sensíveis como a tua que os artistas seguem acreditando em seus sonhos, e lançando suas sementes e pétalas, pólens e azuis pelos mundo... mesmo quando a dureza de alguns aspectos da vida nos abatem ou nos fazem, quase, esmorecer. Desejo dias fecundos e inspirados para ti. Abraços alados!

J.F. de Souza disse...

=)

1[]!

Tinta Azul disse...

Ch
Cadê você?
Tou com saudade!


Abraço
:)

Marilia Kubota disse...

Que blog bem conceituado...bem vi pelas palavras no Micropolis que se trata de pessoa de tino. Na internet temos estas surpesas. Gostei de ver no teu perfil o "Anjo Exterminador", há tempos não via ninguém citar Bunuel. e não conheço o livro de hilda hilst. um beijo,

marcella rarumi disse...

ch, saudades de você. conte-me aí esses seus motivos, bateu até uma preocupação. já não somos os mesmos, tão distantes de nós mesmos. bem assim, redundantes como sempre. falo de mim, na maioria das vezes. sou tantas.

marcella rarumi disse...

beijos, esqueci. hehe.. aparece hora dessas, marcaremos uma prosa daquelas!